Oceano de Plástico

22/05/2011 21:16

 

Oceano de plástico

Maior concentração de lixo do mundo
Pedro Paulo Gianini


Vórtex (centro da imagem) de plástico em imagem de satélite À NORDESTE DA COSTA leste do japão.
(VEJA BEM ONDE ESTA A CONCENTRAÇÃO DE LIXO, EXATAMENTE SOBRE O LOCAL DO TERREMOTO DE 9 GRAUS NA COSTA DO JAPÃO, TIRE SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES)


Durabilidade, estabilidade e resistência à desintegração. As propriedades que fazem do plástico um dos produtos com mais aplicações e utilidades ao consumidor final, também o tornam um dos maiores vilões ambientais.


Das 100 milhões de toneladas de plástico produzidas anualmente, cerca de 10% acaba nos oceanos. Dessa fração, 80% vem de terra firme.
No
Oceano Pacífico há uma enorme camada flutuante de plástico, que é considerada a maior concentração de lixo do mundo. Com cerca de 1.000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessando o Havaí, e chega a meio caminho do Japão, atingindo uma profundidade de mais ou menos 10 metros.



As setas indicam o giro do lixo (pontos em laranja) no Pacífico

Acredita-se que haja cerca de 100 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos nesse vórtex de lixo.









Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas, bonecas, patos de borracha, tênis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico. Segundo seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica, tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos.



O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal (criado pela nossa "civilização") se movimentando livremente pelo Pacífico. E quando passa perto do continente, você tem praias cobertas de lixo plástico, de ponta a ponta.

A bolha plástica atualmente está em duas grandes áreas ligadas por uma parte estreita. Referem-se a elas como oriental e bolha ocidental.


Um marinheiro que navegou pela área no final dos anos 90 disse que ficou atordoado com a visão do oceano de lixo plástico à sua frente. 'Como foi possível fazermos isso? ''Naveguei por mais de uma semana sobre todo esse lixo.


Pesquisadores alertam para o fato de que cada peça plástica que foi manufaturada desde que descobrimos este material, e que ainda não foi reciclada, está em algum lugar do planeta. E ainda há o problema das partículas decompostas deste plástico. Segundo dados de Curtis Ebbesmeyer, em algumas áreas do Oceano Pacífico podem se encontrar uma concentração de polímeros de até seis vezes mais do que o

fitoplâncton, base da cadeia alimentar marinha. Todas a peças plásticas à direita foram tiradas do estômago dessa ave.


Segundo o PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente),
este plástico é responsável pela morte de mais de um milhão de aves marinhas todos os anos. Sem contar toda a outra fauna que vive nesta área, como tartarugas marinhas, tubarões, e centenas de espécies de peixes.

 


Ave morta com o estômago cheio de pedaços de plástico



E para piorar, essa sopa plástica pode funcionar como uma esponja, que concentraria todo tipo de poluentes persistentes, ou seja,

qualquer animal que se alimentar nestas regiões estará ingerindo altos índices de venenos, que podem ser introduzidos, através da pesca, na cadeia alimentar humana, fechando-se o ciclo, da mais pura verdade de que o que fazemos à terra (ou à água nesse caso) retorna à nós, seres humanos "civilizados".


 

Fontes: The Independent,Greenpeace

Crescimento de Tartaruga deformado por aro plástico, uma contribuição à vida de nossa "civilização"


A GRANDE FAIXA DE LIXO DO PACÍFICO

Uma enorme área no oceano Pacifico, com lixo

 (Há um homem em um caiaque no meio da foto)

boiando por toda a parte. A área é maior do que a

do estado de Texas (EUA) e a área não é exata pois

além de flutuar e estar sobre o mar,vai

se espalhando e aumentando todos os dias).

As atrações turísticas

não passam de LIXO. Plásticos, lixo

hospitalar e alguns monstros mutantes

que devem nascer

nessa nojeira toda.



 

Milhares de toneladas de lixo são jogadas

anualmente no mar, colocando em risco os

seres humanos e a vida animal

 


 

Praia em Mumbai, Índia:
            mais plástico do que fitoplancton
Praia em Mumbai, Índia: mais plástico do que

fitoplancton. Foto Reuters

Fracassaram medidas globais para proteção

dos oceanos – Um relatório confidencial do

governo alemão, obtido pela “Spiegel Online”,

indica que os esforços da ONU e da União Europeia

para limpar nossos oceanos fracassaram totalmente.

Como os oceanos do mundo são imensos, poucas

pessoas parecem se incomodar

em despejar lixo neles.

Mas os plásticos se degradam

em um ritmo muito lento e uma

grande quantidade deles está

espalhada pelos nossos oceanos.

Os animais marinhos consomem pequenos

pedaços deles, fazendo com que muitos

morram, já

que os plásticos estão cheio de venenos.

E, como

alertam os especialistas, nós chegamos

a um ponto

onde está ficando até mesmo perigoso

para os

seres humanos consumirem peixes e

frutos do mar.

Dadas estas condições, a comunidade

internacional

vem lutando há quatro décadas por

enormes esforços burocráticos visando

limpar o lixo nos oceanos.

Em 1973, a Organização das Nações

Unidas (ONU)

patrocinou um pacto protegendo os

oceanos do despejo de lixo.

Artigos adicionais foram acrescentados

à chamada

Convenção Marpol –uma abreviação

de “marine pollution” (poluição marítima)–

em seis ocasiões diferentes.

E há nove anos, a União Europeia

colocou diretrizes nos livros que

proíbem qualquer

despejo de lixo marítimo no oceano.

Ainda assim, segundo um documento

confidencial de estratégia do governo alemão

obtido pela Spiegel Online, se for somado

tudo de bom

que essas medidas fizeram, o resultado ainda

seria zero.

 

Voltar